nome

Masdevallia infracta, descrita por Ruiz & Pavón 1794
Tribo: Monandrae
Subtribo:
Pleurothallidinae


O nome
Nome escolhido por José Masdeval, médico da Corte do Rei da Espanha,  Carlos III.
Ocorrência
As orquídeas pleurotalóides fazem parte de uma Subtribo de cerca de 3000 espécies, o que representa aproximadamente 10% das orquídeas encontradas no mundo. O gênero Masdevallia compreende cerca de 500 espécies, distribuídas do sul do México até o sul do Brasil, passando pela Colômbia, Equador, Peru e Bolívia, onde são encontradas nas partes mais altas das serras.
Crescem vigorosamente nas selvas altas das montanhas, com grande ocorrência de chuva e neblina, notadamente das zonas altas da Cordilheira dos Andes.
Aspecto vegtatativo
Masdevallia (Masd) não possui pseudobulbos, sendo formada por ramicaules eretos, saindo a haste floral da sua base.
Trata-se de planta com tripla característica, podendo ser terrestre (ou seja, que nasce na terra, no solo), epífita (ou seja, planta que vive sobre outras plantas) e litófita (ou seja, planta que cresce diretamente sobre rochas ou em fendas de rochas, onde um mínimo de matéria orgânica é acumulada).  Os ramicaules são eretos.
As flores
As flores da Masdevallia infracta surgem de hastes que emergem da base da planta e apresentam uma flor por haste.
As cores variam de púrpura, marrom, amarelo, chegando quase à branca, nesse caso apresentando estrias levemente escuras. As sépalas são unidas no formato de um cálice, apresentando prolongamentos em suas 3 (três) pontas, com o aspecto de pequenas antenas.
Uma característica bem interessante é que ela chega a dar de 5 a 6 flores na mesma haste, de forma seqüencial. Desta forma, enquanto a haste floral estiver verde não deve ser cortada na base, porque continuará a dar flores. Quando não tem mais condições de florescer a haste vai ficando amarela e seca, podendo, então, ser cortada na base.

A floração ocorre principalmente na primavera, no mês de novembro, podendo entrar pelo mês de dezembro.

As flores, contando as antenas (caldas) chegam a 8cm. de envergadura, ficando com 12 a 15cm. de altura da borda do vaso.
Perfume
As flores não apresentam perfume.
Pragas e doenças
Como as demais orquídeas, são sujeitas ao ataque de cochonilhas e de pulgões, podendo o combate, preventivo, ser feito com óleo de neem e citronela, mediante pulverizações periódicas.
Cultivo
Sempre se ouve dizer que as Masdevallias são de difícil cultivo, entretanto, não chega a ser bem assim. Elas precisam de noites frias para florescer, mas adaptam-se muito bem a ambientes com temperaturas mais moderadas, principalmente a espécie infracta, escolhida como a planta do mês de novembro (2007).
Cultivadas em local bem arejado, com umidade acima de 75%, mantendo-se o substrato úmido (não encharcado) e pouca luminosidade, elas florescem muito bem, até mesmo no nível do mar.   
A adubação deve ser feita na base da metade do que se costuma fornecer para Cattleyas e Laelias, tanto no que se refere à periodicidade, quanto à concentração do adubo. Em outras palavras: a adubação deve ser feita apenas uma vez por mês e utilizando-se a metade da dose indicada pelo fabricante.
  
Gostam de vasos pequenos e, de preferência, de barro, deixando-se o limo nas paredes externas do vaso e na parte superior do substrato.
Híbridos
A Masdevallia   infracta tem sido utilizada na formação de vários híbridos intragenéricos, porém, o mais comum é o intergenérico resultante do seu cruzamento com Dráculas, que originam o híbrido denominado Dracuvallia (Drvla)
Premiações
Plantas de  Masdevallia infracta costumam ser premiadas pela American Orchid Society – AOS na modalidade CCM (Certificate of Cultural Merit), que é uma premiação dada ao cultivo e à planta como um todo, não somente para a flor. Entretanto, existem vários clones premiados pela forma de suas flores, destacando-se os seguintes: ‘Gunpowder Falls’, HCC de 77 pontos; ‘Cincinnati’, AM de 81 pontos; ‘Menehune’, AM de 81 pontos; ‘Harford’, AM de 81 pontos
Fontes de consulta Enciclopédia na internet: Wikipedia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Cattleya.
Site Brazilian Orchids, na Internet  : http://www.delfinadearaujo.com


Masdevallia infracta púrpura
Foto: Eric-Hunt (colhida, sem restrições, na Internet)

Masdevallia infracta
Fotos e cultivo: Fernando Setembrino.


Proibida a reprodução de qualquer elemento da página (texto, fotos, lay-out) sem a autorização expressa, por escrito do autor