Catasetum cirrhaeoides 'Leblon'
Foto e cultivo: F.Setembrino

   

Familia Orchidaceae
Subfamilia Catasetum  Seção: Convergentes

O nome

O nome Catasetum é uma palavra híbrida, proveniente do grego 'Kata' que siginifica para baixo e do latim 'Seta' que significa seda. A espécie cirrhaeoides foi descrita por Hoehne em 1915 e o gênero foi descrito por Richard ex Kunth, em 1822, tendo como tipo Catasetum macrocarpum.

Ocorrência

O gênero Catasetum possui mais de cento e cinquenta espécies, em sua maioria, epífitas. São encontradas desde o México até o norte da Argentina, com a maior concentração na Amazônia e em Mato Grosso.
O Brasil possui mais de cem espécies.
Catasetum cirrhaeoides é originário do Estado do Mato Grosso.

Aspecto vegetativo

A brotação tem início logo nas primeiras chuvas da primavera, quando surgem os brotos dos novos bulbos. Após a floração, as folhas amarelam e caem (em algumas espécies as folhas caem antes das flores se abrirem). Após a floração, as plantas entram no estado de dormência, somente reiniciando o seu ciclo vegetativo nas primeiras chuvas da próxima primavera.
Apresentam pseudobulbos carnudos, oblongos e anelados, cespitosos, com algumas folhas dísticas, estreitas, nervuradas, cujas bainhas, sobrepostas, recobrem os pseudobulbos depois que secam.
A inflorescência é produzida das gemas dos nós laterais dos pseudobulbos, perto da base, de forma ereta, curvada ou pendente, apresentando flores masculinas, femininas e, eventualmente hermafroditas, dependendo da intensidade de luminosidade. A mesma haste pode apresentar flores masculinas e femininas ou a mesma planta apresentar uma haste com flores masculinas e outra haste com flores femininas.
As flores masculinas aparecem em maior quantidade do que as florações femininas, tendendo estas para o verde ou amarelo.

Flor

Aproximadamente 5cm de diâmetro.

Pragas e doenças

Como as orquídeas em geral, são sujeitas ao ataque de cochonilhas, pulgões e ácaros. O combate pode ser feito, preventivamente, através de pulverizações periódicas dos inseticidas normais encontrados nas melhores casas do ramo.

Cultivo

Devem ser cultivadas em clima quente, de preferência em vasos de plástico (mesmo em garrafas pet), sem furos nos fundos, apenas com furos laterais, sempre deixando-se os furos mais baixos uns 4 centímetros acima da base do recipiente, para que se forme no fundo um reservatório de água com uma camada de pedras ou isopor. Acima dela, deverá entrar o substrato (casca de pinus) e pedras.
Adubação normal.
Sempre é conveniente diminuir muito a rega durante o período de dormência, voltando a regar normalmente quando as raízes dos novos pseudobulbos começarem a crescer.
Precisam de boa ventilação e não necessitam de muita ensolação.

Híbridos

O Catasetum cirrhaeoides tem sido usado para hibridação, dada a sua quantidade de flores por haste e sua coloração.

 


Foto: L.A.


Foto: Greg Allikas


Foto e cultivo: Alberto VLP


Texto: Fernando Setembrino Márquez de Almeida
Revisão e colaboração: Delfina de Araujo


Proibida a reprodução de qualquer elemento da página (texto, fotos, lay-out) sem a autorização expressa dos autores