ESPÉCIES BRASILEIRAS DE CATTLEYAS
I - Região Norte

Delfina de Araújo

Das aproximadamente 50 espécies de Cattleya (adotando-se a nomenclatura tradicional) que vegetam desde o México até a Argentina, 32 ocorrem no Brasil, isto sem contar com o grande número de variedades existentes dentro de uma mesma espécie e o grande número de híbridos naturais entre suas próprias espécies e os outros gêneros, incluindo híbridos de segunda geração.
A Cattleya está presente em todos todos os estados brasileiros e algumas têm uma distribuição muito restrita como a Cattleya araguaiensis só ocorre próximo ao rio Araguaia, outras são de ampla distribuição como Cattleya guttata.
Foi adotado como parâmetro a distribuição por região e dentro da região, por ecossistema, mas é preciso dizer que nenhum habitat é homogêneo e todos se subdividem em diversos micro-sistemas cada um com sua característica própria. Muitas vezes são tão próximos uns dos outros ou ocorrem uns dentro dos outros, que se torna difícil a sua separação.
Em maior ou menor intensidade, a presença da orquídea é sempre uma constante nestes ecossistemas: Mata Atlântica, Floresta Amazônica, Cerrado, em regiões semi áridas de altitudes, próxima Caatinga, manguezais, brejos e restingas que se estendem por todo país. Enfim, ela ocorre em diversos habitats.
É na Mata Atlântica, um dos mais ricos e mais conhecidos ecossistemas, que ocorre o maior número das espécies brasileiras de orquídeas, sobretudo no que diz respeito ao gênero Cattleya. E é também onde ocorre o maior número de híbridos, sobretudo nos estados do sudeste e na Bahia que é o estado mais rico com cerca de 14 espécies, Espírito Santo com 13, Minas Gerais com 11, Rio de Janeiro com 10, São Paulo com 9.
Na região Amazônica, ocorrem 7 espécies, no Cerrado (planalto central) temos 3 espécies.